Bastille, uma banda de sorte: Entrevista ao site Neon Tommy


Enquanto ainda estava nos Estados Unidos, a banda foi entrevistada pelo site Neon Tommy, com o qual falou sobre os diferentes públicos espalhados mundo afora, e até deu "conselhos" para universitários. Confira as perguntas e respostas, que foram publicadas no dia 23/12, traduzidas abaixo!

Vocês poderiam falar sobre como o ano tem sido? Houve algum momento em que vocês perceberam "Uau, nós fizemos isso!"?

Woody: Na verdade, não... Acho que dizer que você "fez isso" significa que você terminou.
Will: Woody tem trabalho a fazer.
Kyle: Oh, Woody é um homem ocupado!

Que ambições vocês têm para o ano que vem?

Kyle: Este já passou de qualquer coisa que imaginamos.
Dan: Eu acho que as coisas que nós fizemos este ano têm ido além de qualquer coisa das quais pensamos, então tem sido uma loucura. Penso em ambições sábias. Nós só queremos fazer outro álbum e que ele seja bom.

Vocês já começaram o segundo álbum? Como está sendo?

Dan: Sim, isso é bom... Quero dizer não, eu estou literalmente dizendo muito a palavra "bom" em uma linha. É divertido. Estou gostando muito do processo. Nós só precisamos de tempo para gravar alguma coisa [risos].

Vocês vêm ganhando fãs rapidamente aqui nos Estados Unidos. Vocês notaram uma mudança na energia dos shows de quando vocês começaram para agora? É assustador se apresentar na frente de grandes multidões agora?

Dan: Somos sortudos o bastante por ter tocado em um monte de países diferentes. É sempre muito divertido. Quero dizer, não só de cidade para cidade, mas de país para país, bem... para ver como pessoas diferentes respondem. No Reino Unido, nossas multidões são do tipo completamente loucas, tipo mosh ao redor e as pessoas se deixam levar inconscientes. Quando vamos para partes da Europa, é muito mais respeitoso, como um show de cultura. As pessoas batem palmas no final, mas eles apenas escutam. No Japão também... Silêncio total.

Sim, eu ouvi dizer que os japoneses são muito educados.

Dan: Sim, no final eles batem palmas um pouco e depois param. Mas tão quietos. Quando entramos no palco, nós estávamos tocando em um festival, não havia nenhuma música tocando... literalmente você poderia ter ouvido um alfinete cair.
Kyle: Nós pensamos: "Ninguém está aqui!"
Will e Dan: Nós pensamos que estava vazio!
Dan: Há uma sala cheia de pessoas, mas...
Woody: É tipo "Oh, graças a Deus!"
Dan: Mas, até agora, temos sido muito sortudos, você sabe. Todos os shows que fizemos tiveram pessoas neles. E eu... eu acho.

Eles tiveram ingressos esgotados também!

Dan: Sim, nós somos tão, tão sortudos. Acho que é porque tivemos música online por muito tempo antes de  fazermos o nosso primeiro show aqui. Eu acho que temos sorte nisso porque quando viemos, as pessoas estavam esperado por muito tempo. É bom conhecer os fãs depois de nossos shows que têm a versão britânica do álbum porque eles ficaram impacientes e encomendaram.

O que vocês diriam para as pessoas que ainda não ouviram sua música? Como vocês resumiriam Bastille para deixá-los interessados ​​na banda? 

Dan: Uhm... Eu diria "Olá [aceno], eu sou Dan".
Woody: Se ouvir a gente, você vai ser muito rico.
Dan: 'Isso não funcionou'... Eu não sei.
Kyle: Escute. Se você gostar, continue!

Passo mais forte!

Will: É isso aí... Escute. [risos]
Kyle: Eu não sei o que você pode fazer. Escute a música. Se você gostar dela, você é um fã! Se você não gostar, não conte a ninguém.
Dan: Sim, guarde para si. [risos]

Vocês têm algum conselho para os jovens universitários? Sobre a vida, música etc?

Kyle: Não.
Woody: Empréstimos estudantis NÃO são dinheiro de graça! Você tem que pagar de volta.
Dan: Dicas de vida? Ou dicas de música?

Qualquer coisa.

Dan: Porque nós não estamos em uma posição para oferecer nada... desculpe, eu disse que nós somos fracassados e perdedores.

Isso não é verdade!

[Kyle acena para concordar com Dan]

Dan: A única coisa que eu diria para alguém que quer escrever uma música é apenas escrever músicas. 

[Kyle cai na gargalhada]

Dan: Escrever quantas músicas você puder. Apenas certifique-se de que elas são boas e toda vez...

[Todos começam a rir]

Dan: Eu acho que compor pode dar trabalho. Quando está escrevendo, você pode ter um monte de músicas que você acha que estão feitas, mas você sempre pode tentar escrever uma canção melhor. E isso é a coisa mais importante, porque, independentemente do gênero de música que é ou o estilo que você está tentando fazer, se alguém a ouve e pensa que é impressionante e... Eu... Eu sinto muito, eu só estou tagarelando.

Entrevista original, em inglês, aqui!
Bastille, uma banda de sorte: Entrevista ao site Neon Tommy Bastille, uma banda de sorte: Entrevista ao site Neon Tommy Reviewed by Adm on 12:18 Rating: 5

Um comentário

  1. "e... Eu... Eu sinto muito, eu só estou tagarelando." HAHAHAHAHA Dan <3
    Obrigada pela tradução gente, adorei *-*

    ResponderExcluir